quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Top 5 - Séries promissoras que foram canceladas

Quem nunca se sentiu, quase que "frustrado" de saber que a série que você acompanhava com tanta ansiedade, foi "cancelada" ou "não foi renovada", e não teve aquele desfecho explicativo que o último episódio deixou dúvidas e questões no ar?! Acho que quase todo fã de séries,certo?! O pior é quando isso acontece com as séries que tem tudo pra dar certo, mas por culpa, geralmente, da emissora, a série não tem um desfecho desejado. Segue então um TOP 5 das Séries Promissoras Mas Foram Canceladas.

5º Lugar - Red Band Society

 


Baseada na série espanhola, Polseres vermelles (Pulseras Rojas), Red Band Society da FOX estreou em 17 de Setembro de 2014, a versão americana tinha tudo pra dar tão certo quanto sua versão espanhola, que teve ao total 2 temporadas; mas não foi bem isso que aconteceu. A história é um drama bem comovente, afinal, a história se passa num hospital com jovens em situações bem complicadas, e tem como foco maior, a história de Leo Roth (Charlie Rowe) e Jordi Palacios (Nolan Sotillo) que são dois jovens que sofrem com câncer em uma fase bem crítica; além deles há também Emma Chota (Ciara Bravo) que sofre de anorexia, Kara Souders (Zoe Levin) uma líder de torcida com problemas cardíacos, Dash Hosney (Astro) amigo de Leo que sofre fibrose cística e Charlie (Griffin Gluck) um menino de 12 anos que é o narrador da história e que está em coma. Mas a série não é só drama, há romance, comédia e bons momentos de descontração do clima pesado que é um hospital; tudo que uma série precisa ter. Um bom atrativo para série e que foi um bom "investimento", foi a atriz Octavia Spencer (Dra. Dena Jackson) que havia acabado de ganhar o Globo de Ouro e o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em Histórias Cruzadas; também teve a participação especial da Atriz e Cantora Bella Thorne (Delaney Shaw).

Infelizmente nem tudo foi um "mar de rosas" e na metade da série, os números de audiência estavam baixos e a emissora FOX estava preocupada que a série trouxesse prejuízos, por isso no final de Novembro, a FOX anuncio que a série iria terminar em seu 10º episódio, sendo que ainda iria faltar 3 episódios para serem exibidos (além desses 10), e após um "doloroso" Dezembro e com muita luta, foram exibidos os 13 episódios, fazendo assim um season finale. Mas o que se percebeu no seu último episódio, foi muita correria para resolver todos os assuntos e questões que seriam resolvidos numa temporada futura, e teve um final "bom" mas angustiante por ser tão nítido a pressão que estava na equipe da série, que começou numa audiência de 4,10 (milhões), terminou com "meros" 1,88 (milhões).

4 - In The Flesh

 


In The Flesh é aquela série de zumbi que se destaca de todas as outras, pois não é focada na matança varrida dos zumbis, após 3 anos do "surto" zumbi (chamado na série de The Rising), eles conseguem controlar a infestação e encontram uma forma de transformar os zumbis (portadores de uma Síndrome de Morte Parcial) em pessoas conscientes novamente e reintegrar eles a sociedade. A série centra-se no jovem Kieren Walker, portador da síndrome, que retorna a sua comunidade natal, a pequena Lancashire, e enfrenta preconceitos e traumas.

A primeira temporada de 3 episódios, foi algo fenomenal e se tornou a série favorita de muitos telespectadores, mas a segunda temporada houve uma decaída ENORME de audiência e também no enredo da série, a história se tornou algo meio "apelativo" e "clichê", e seu final de série chegou a dar esperanças que pudesse melhorar na próxima temporada. Mas isso infelizmente não chegou a acontecer, e em Janeiro desse ano (2015), a BBC Three veio através do Twitter confirma o cancelamento da série, dando como motivo o corte de gastos. “Amamos a atração mas temos que fazer escolhas difíceis de trazer novas séries, criando espaço para talentos emergentes” - revelou em sua conta oficial do canal no Twitter. A série inclusive ganhou o prêmio Bafta de Melhor Minissérie para a TV e seu criador, Dominic Mitchell, recebeu a estatueta de Melhor Roteirista também nesta premiação.

 3 - The After

 


The After é aquele tipo de série que "Nunca saberemos se realmente seria boa", pois só teve a exibição do seu episódio piloto em Fevereiro de 2014 e mesmo tendo uma boa aceitação do público, a Amazon TV que já tinha inclusive, encomendado 8 episódios pra série, decidiu por cancelar a série "sem mais, sem menos", e emitiu o segundo comunicado: "Decidimos não levar a série adiante. Gostaríamos de agradecer Chris Carter, o elenco, produção e equipe fenomenais por seu esforço", declarou o vice-presidente do Amazon Studios, Roy Price.

Jamie Kennedy (Pânico), Adrian Pasdar (Heroes) e Aldis Hodge (Leverage) estrelariam The After, cujo piloto é escrito e dirigido por Chris Carter. A trama se passa no momento de um apocalipse e acompanha diversos pontos de vista, atrás de explicações. Kennedy vive um palhaço, Pasdar vive um executivo de Beverly Hills e Hodge interpreta um preso fugitivo.
O enredo tinha tudo pra ser uma série fenomenal, era certeza que ia sair coisa dali, pois além de abordar o cenário apocalíptico de maneira diferente, tinha muitos mistérios e assuntos interessantes. Foi uma pena ter sido cancelada e acho que Carter, deveria tentar levar a série para outra emissora, pois valeria a pena.

 2 - The River

 


The River é capaz de passar uma credibilidade de "promissora" só em ver a equipe da série, o criador da série é Oren Peli (diretor de Atividade Paranormal) e o produtor, não é nada menos, do que o grande Steven Spielberg (despensa comentários né?!); na teoria tudo é perfeito.

"Emmet Cole (Bruce Greenwood), apresentador de um programa de aventuras, e sua equipe, se perde na floresta Amazônica.Seis meses depois, sua esposa, Tess Cole (Leslie Hope), produtora do programa, descobre que ele ainda pode estar vivo. Assim, ela obriga seu filho Lincoln (Joe Anderson) a largar a faculdade de medicina para ajudá-la a localizá-lo.

Relutante, Lincoln assume a responsabilidade de liderar o grupo de resgate para descobrir o que de fato houve com seu pai."

Como a própria imprensa descreveu, a série é quase um "sucessor" de Lost, mas segundo os seus próprios criadores, garantirem que a série tem um inspiração maior em Arquivo X, o que faz todo sentido, pois envolvia assuntos místicos, sobrenaturais e muito suspense, tudo dentro da nossa Floresta Amazônica, que se tornou um cenário ideal pra trama. Mas mais uma vez, nem tudo é tão belo como realmente deveria ser... a série em seu episódios finais, começou a caminhar para um lado mais demoníaco, o algo bem semelhante à Atividade Paranormal, e acho que foi o verdadeiro tiro no pé, pois não era o momento certo para acontecer naquele momento na série (o que me leva a crer que houve pressão da emissora ABC, em busca de resultados na audiência) e numa forma desesperada, a série se perdeu e deixou várias dúvidas e assuntos inacabados no seu último episódio. Numa época que Netflix, estava começando a investir em séries, isso acabava salvando algumas séries do cancelamento, e Netflix tentou com Terra Nova (sem sucesso), e tentou com The River também, mas sem sucesso; e mesmo com páginas de Facebook, abaixo assinados de fãs e a tentativa do Netflix, a série não conseguiu se salvar e foi cancelada ainda em sua primeira temporada.

1 - Forever

 


Um dos cancelamentos mais lamentáveis  de 2015, Forever que era uma série com pitadas de CSI, drama, humor e misticismo, conseguia ser empolgante e divertida de uma forma inteligente, afinal a história é sobre um homem que já vive há mais de 200 anos.

"O médico legista Henry Morgan possui um segredo: ele é imortal. Morgan estuda, há 200 anos, aqueles que partiram, a fim de descobrir o mistério de sua própria condição. A longa vida de Henry fez com que ele começasse a estudar cada vez mais, levando-o a desenvolver habilidades que acabam se tornando importantes para as investigações policiais, o que resulta no convite para ser legista oficial da polícia, pela Detetive Jo. Junto a Abe, seu melhor amigo e único que sabe de sua condição, eles terão que lidar com uma terceira pessoa que também conhece seu segredo."

Uma possível segunda temporada para série era esperada pelos fãs, mas não se concretizou e a emissora ABC, simplesmente anunciou que não iria haver renovação de temporada. Uma pena para os fãs, mas principalmente para o ator Ioan Gruffudd (Eterno Sr. Fantástico), que conseguiu desempenhar na série um dos melhores papeis em sua carreira, com personalidade e trejeitos que se encaixou com uma luva em Ioan, e após o anúncio da não renovação da série, o ator declarou no Instagram uma mensagem de agradecimento aos fãs e explicando como se sentia com a notícia. Pode estar conferindo AQUI.

Espero que tenham gostado do top 5, se vocês lembram de mais alguma série que era boa e tinha algum futuro mas que foi cancelada, comente e fale sobre a série.

Como diria o ditado popular, "A coisa mais triste para alguém que é apaixonado por ver séries, é saber que sua série favorita foi cancelada".

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Resenha de Jogos - Her Story

Na The Game Awards (TGA, uma espécie de Oscar dos jogos), tem como um dos seus pontos altos da premiação, a ansiedade de saber qual vai ser eleito o Melhor Jogo do Ano, e na TGA 15, que ocorreu no dia 3 de Dezembro, não foi diferente, a disputa acirrada entre Fallout 4 e The Witcher 3 foi de roer as unhas pra saber o resultado, que acabou dando The Witcher 3: Wild Hunt. Mas além de saber qual o melhor jogo do ano, o mais interessante desse "Oscar", é saber as surpresas que aparece no meio dos indicados; e esse é o caso do jogo Her Story (do mesmo criador de Silent Hill: Shattered Memories; Sam Barlow), que ganhou os prêmios de Melhor Narrativa (inclusive, superou o jogo Life is Strange) e Melhor Perfomance da atriz Viva Seifert; e também concorreu aos prêmios de Melhor Jogo Independente (ganhou Rocket League) e Game for Impact (ganhou Life is Strange).

Sinopse

"Her Story, coloca o jogador no papel de um detetive que deve, através de um banco de dados de vídeos, descobrir o responsável pelo desaparecimento de Simon Smith. Os vídeos são partes de várias entrevistas realizadas com a mulher do desaparecido, Hannah Smith."

O tema de detetive, na forma mais "realista", estava meio escassa no mercado de jogos, mas Her Story traz essa essência de volta,mas com uma jogabilidade totalmente diferente dos jogos que conheço. O jogador tem que realizar uma investigação praticamente independente (o jogo não te dá um "objetivo" claro), e você tem que realizar essa pesquisa através de um computador dos anos 90, e você só tem acesso a um banco de dados com vídeos de várias entrevistas realizadas com Hannah Smith, e a única forma de conseguir algum progresso na história do jogo e na narrativa, é prestando muita atenção no que Hannah fala nos vídeos, em sua leitura corporal e também é de grande ajuda, tentar imaginar "Qual foi a pergunta feita pelo detetive?!"; com essas dicas, você vai ter que usar palavras chaves para descobrir qual será o próximo vídeo na linha de investigação; ao entrar pela primeira vez no jogo, já está escrita a palavra "MURDER", o que nos leva a crer de primeira impressão: "Será Hannah a assassina de seu próprio marido?!".

Conheci o jogo na verdade, numa pesquisa na Steam por jogos com "Uma Boa História", e não é que encontrei?! Her Story, logo chama atenção por ser focado na investigação, bem ao estilo "Sherlock Holmes", e antes de baixar o jogo, dei uma procurada pelo Youtube pra ver se era bom mesmo, mas tive uma decepção, não com o jogo, mas sim com os jogadores das gameplays, vi muitos jogadores usando uma "macete" para poder identificar os vídeos na linha temporal certinha e um vídeo atrás do outro, sem precisar fazer a investigação (o principal atrativo do jogo), logo, se o player faz isso, ele não está "jogando" o jogo, mas sim, assistindo um filme, o que diminui o tempo do jogo pra aproximadamente 2h de jogatina, sendo que jogando da "maneira correta", o jogo pode se estender por quase 10h ou mais de jogo. Então aconselho a vocês que vão jogar futuramente e gostam de jogos investigativos, esse é o jogo certo, e jogue da maneira correta, se envolvendo com a história e "fazendo as perguntas certas como detetive/descobrir as palavras chaves".

Pra quem quiser comprar na Steam, é só clicar nesse link: http://store.steampowered.com/app/368370/

Os antivírus mais seguros com pontuação máxima no AV-Test 2015




O site AV-Test, que organiza e publica testes de desempenho relacionados a antivírus, divulgou a segunda edição de uma análise que busca demonstrar o quanto os aplicativos de segurança protegem o PC contra ameaças e brechas. Em novembro de 2014, na primeira versão da pesquisa, apenas dois antivírus apresentaram proteção contra invasão e ataques:ESET Smart Security e Symantec Endpoint Protection.




Confira classificação final dos dez programa para uso pessoal considerados os mais seguros.


1. Avira Antivírus Pro: 100%


2. Bullguard Internet Security: 100%


3. Eset Smart Security: 100%


4. Kaspersky Internet Security: 100%


5. McAfee Internet Security: 100%


6. Symantec Norton Security : 100%


7. F-Secure Internet Security : 99,5%


8. G Data InternetSecurity : 99,4%


9. Avast Free Antivirus: 96,9%


10. AVG Internet Security: 95,9%


* O último colocado foi o K7 Computing Total Security, com apenas 25,9% de proteção.

Spin-off de Han Solo em 2018




Han Solo, filme derivado da saga Star Wars, prepara o que já vem sendo tratado como "a maior seleção de atores de todos os tempos" em Hollywood. Disney e Lucasfilm selecionam entre 2500 atores o protagonista da versão jovem do icônico personagem, originalmente interpretado por Harrison Ford. O processo está sendo encabeçado por Jeanne McCarthy, diretora de casting que colabora frequentemente com os diretores Christopher Miller e Phil Lord (Uma Aventura Lego).

Os atores conhecidos concorrendo ao papel são dos mais variados tipos, idades e nacionalidades. O ponto em que se encontram na carreira também varia bastante. Confira acima, e perceba duas ausências: Taron Egerton (Kingsman - Serviço Secreto) e Aaron Paul (Breaking Bad), citados recentemente como favoritos ao papel.

Os acontecimentos do filme sobre Solo estariam, cronologicamente, entre o episódio A vingança dos Sith e Uma nova esperança. É possível que Harrison Ford faça participações epeciais, mas, como a produção seria sobre a vida de adolescente do capitão, um novo ator para interpretar o protagonista seria necessário (façam suas apostas).

O roteiro ficará por conta de Lawrence Kasdan, conhecedor do universo "Star Wars" ao assinar os textos de "O império contra-ataca" (1980), "O retorno de Jedi" (1983) e "O despertar da Força", que sai no dia 17 de dezembro. Ele dividirá a responsabilidade com seu filho, Jon Kasdan.

O filme, que deve ser lançado no dia 25 de março de 2018 nos EUA, contará a história de como o jovem Han Solo - vivido por Harrison Ford na franquia até o momento - se tornou o "contrabandista, ladrão e trapaceiro encontrado por Luke Skywalker e Obi-Wan Kenobi na cantina de Mos Eisley" no primeiro "Star Wars", de 1977.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Top 5 - Os cinco melhores filmes de terror Nacionais

Olhando para os nossos cinemas, a maioria dos filmes nacionais em cartaz são dramas ou comédias. Mesmo assim, existem cada vez mais diretores experimentando o cinema de gênero, tanto com suspenses que flertam com o sobrenatural, quanto com o terror sanguinário e assustador. A produção nacional está cheia de diretores apaixonados pelas temáticas sombrias...

Começamos os trabalhos com:

5 - O Exercício do Caos (2012)

Este filme maranhense começa como drama, antes de adentrar o terreno sobrenatural. Um pai (Auro Juriciê) vive sozinho com as três filhas desde o desaparecimento da mãe. Enquanto tentam compreender o que aconteceu com esta mulher sumida, eles começam a sofrer com presenças sombrias ao redor da casa, incluindo a visita indesejada de um capataz.

O Exercício do Caos não é para espectador impassível, desses que sentam na poltrona e esperam ser servidos de ideias e opiniões prontas. O longa exige cérebro em funcionamento, mente trabalhando, esforço intelectual. Se houver disposição de quem vê a energia cognitiva não será gasta em vão. E, sei bem disso, não há nada pior do que passar minutos a fio se esforçando para embarcar e compreender uma trama e descobri-la um grande engodo ao final.

4 - . Mar Negro (2013)

Os filmes de terror trash são raríssimos no Brasil, mas o diretor Rodrigo Aragão é um dos raros defensores do gênero. Neste filme, ele faz bom uso do orçamento limitado para contar a história de um vilarejo à beira do mar, contaminado por monstros aquáticos. Como você pode ver pelo trailer abaixo, o cineasta não economiza na quantidade de sangue!

Chamar Mar Negro de apenas um “filme de zumbis” seria uma injustiça, já que nos 105 minutos de metragem guardam bizarrices como monstros marinhos, rituais satânicos, o Necronomicon, vinganças sangrenta e até o próprio capeta!

Walderrama dos Santos, ótimo como sempre, assume o papel de Albino (que já havia aparecido em A Noite do Chupacabras, interpretado por Eduardo Moraes), o tímido funcionário de boteco que é apaixonado por Indiara (Kika Oliveira, estonteante). Ela é casada com o pescador vivido por Marcus Konká, que numa noite de trabalho acaba pegando o monstro conhecido como baiacu-sereia em sua rede.

Segundo Aragão, o filme foi filmado quase que no improviso. A ideia do ataque dos zumbis num bordel, por exemplo, havia sido abandonada por falta de recursos, mas acabou sendo retomada quando o elenco e equipe se mostraram dispostos.


Assim como os filmes anteriores do diretor, Mar Negro está tendo uma ótima recepção em festivais e mostras nacionais e internacionais. Mas sua grande conquista foi conseguir distribuição no circuito comercial. O filme deverá ser lançado em 27 de dezembro deste ano, e por isso mesmo tem a grande responsabilidade de chamar a atenção do grande público para o que é feito no nosso gênero preferido por todo o país, e que não é pouco.

3- Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver (1967)

Esta é uma sequência de À Meia-Noite Levarei a Sua Alma, filme que apresenta o personagem de Zé do Caixão. Ainda obcecado pela criação do filho perfeito, ele sequestra diversas jovens mulheres e faz uma série de provas para encontrar a melhor, torturando cada uma delas.

Zé do Caixão tenta encontrar, num povoado onde é agente funerário, a donzela que lhe dará o filho perfeito, convencido de que a única forma de imortalidade é a do sangue. Com a ajuda do fiel criado Bruno, rapta seis moças do lugarejo, e, enquanto a polícia as procura e o clero tenta apaziguar o povo enfurecido, ele faz o teste do medo: só uma donzela não se aterroriza ante o ataque de tarântulas no meio da noite. Será esta a escolhida? As outras serão entregues à volúpia do criado hediondo de Zé, ou colocadas num poço cheio de cascavéis. Uma das vítimas jura que encarnará no cadáver do sádico. Este põe sua favorita em liberdade e sai em busca de outra donzela. Atrai a seu antro de horrores uma recém-chegada e a mantém sob domínio místico. Com ela terá o seu filho. Durante a noite, Zé tem um pesadelo: a Morte leva-o a um cemitério, onde cadáveres saem das tumbas e o puxam para o inferno. Corredores de gelo, onde homens e mulheres ensanguentados são permanentemente torturados por carrascos do rei das trevas, de quem Zé do Caixão identifica sua própria fisionomia. As suas vítimas aparecem, ameaçadoramente, e Zé acorda. Sua mulher não suportará o parto e sucumbe. Sua esperança de perpetuar seu ser se desvanece, e Zé do Caixão profere blasfêmias contra os homens e suas divindades, no momento em que o povo, revoltado, sai em seu encalço. Depois de escapar de um atentado, Zé penetra num pântano e morre diante do povo e das autoridades, quando os esqueletos de suas vítimas boiam à superfície. Estava cumprido o juramento da donzela que ele sacrificara.


O filme foi censurado na época, pois no filme Zé do Caixão levava vários tiros e, antes de morrer, confirmava sua descrença em Deus dizendo: "Eu não creio. Não creio", enquanto afundava nas águas sujas de um lago. Para o filme ser liberado foi exigida uma mudança no roteiro, e Zé do Caixão passou a dizer o texto imposto pelos censores "Deus… Sim… Deus é a verdade! Eu creio em tua força. Salvai-me! A cruz, cruz, padre…


2- Nervo Craniano Zero (2012)

Uma adaptação para o cinema de um espetáculo teatro de mesmo nome, o filme é de Paulo Biscaia Filho.

A escritora de sucesso Bruna Bloch põe em prática um plano inescrupuloso para evitar que tenha uma crise criativa e saia da lista dos mais vendidos: adquirir um chip indutor de descargas de dopamina que, quando implantado no cérebro humano, gera surtos de inspiração. Para isso, ela contrata os serviços do criador desta invenção, Dr. Bartholomeu Bava, que perdeu sua licença médica após um acidente nas pesquisas para criação do chip. Mas Bruna não quer implantá-lo em si mesma, e sim em uma cobaia humana, a simplória garota Cristi.

Adaptação para o cinema do espetáculo teatro de mesmo nome escrito e dirigido por Paulo Biscaia Filho.
No elenco do filme também está a atriz Uyara Torrente, que ficou conhecida como vocalista d’A Banda Mais Bonita da Cidade.


1- ENCARNAÇÃO DO DEMÔNIO (2008)

Como falar de suspense e terror brasileiro sem falar em José Mojica Marins? É preciso lembrar este ícone do terror, um dos diretores mais criativos e ousados do cinema brasileiro. Este foi seu filme mais recente, finalmente terminando a trilogia do insano Zé do Caixão.

Com orçamento estimado em mais de R$ 1 milhão, mas um fracasso de bilheteria, o filme marca o retorno de Zé do Caixão (José Mojica Marins), libertado após 40 anos preso. De volta às ruas, ele está decidido a cumprir sua missão: encontrar uma mulher que possa gerar seu filho perfeito. Caminhando pela cidade de São Paulo ele enfrenta leis não naturais e crendices populares, deixando um rastro de sangue por onde passa.

Esse é o filme que encerra a trilogia iniciada com À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1963), e Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967).Encarnação do Demônio teve um orçamento estimado em R$ 1 milhão, captados através de leis de incentivo e é o maior orçamento já administrado por Mojica Marins, que estava há 30 sem dirigir um longa-metragem.

Enquanto não é encontrado pelos inimigos, Zé do Caixão segue seu caminho pela cidade de São Paulo, deixando um rastro de horror e enfrentando leis não naturais e crendices populares.

O filme foi selecionado para ser exibido no Festival de Veneza, em 2008, numa mostra chamada "Midnight Movies".

Foram incluídas cenas em preto e branco dos filmes anteriores de Zé do Caixão ("A Meia Noite Levarei Sua Alma", "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver" e "O Despertar da Besta").

sábado, 19 de dezembro de 2015

Kristen Stewart estrela Certain Women - 2016

Certain Women, novo filme de Kelly Reichardt, terá sua premiere mundial no Sundance Film Festival, e o site oficial do festival divulgou a sinopse completa do filme. 


O The Film Stage anunciou que Certain Women, de Kelly Reichardt, será lançado no Sundance em 2016. É muito provável que Kristen esteja por lá divulgando a trama.

Certain Women nos coloca dentro de algumas vidas cruzadas em Montana. Uma advogada (Laura Dern) tenta resolver um caso de reféns e acalmar seu cliente insatisfeito (Jared Harris), que se sente menosprezado por um acordo de indenização de trabalhadores. Um casal (Michelle Williams eJames Le Gros) se muda para uma nova casa, mas expõe fissuras conjugais quando tentam persuadir um homem idoso a vender seu estoque de arenito. Uma fazendeira (Lily Gladstone) forma laços com uma jovem advogada (Kristen Stewart), que, inadvertidamente, encontra-se dando aula para adultos duas vezes por semana, quatro horas de distância de sua casa.

Kelly Reichardt retorna para o Oeste americano, por meio dos contos de Maile Meloy, mas derruba suas associações tradicionais. Aqui, os homens resistentes lutam contra idade, lesões e indignações enquanto as mulheres traçam o caminho de modo imperfeito. O estilo observacional e sem pressa deReichardt resiste o julgamento e sentimentalismo. As máscaras vivem de desespero silencioso e emoções conflitantes. Todas as três histórias são tensas com saudade, povoadas por pessoas imperfeitas lutando com ambiguidade moral e vivendo entre isolamento e intimidade.

Certain Women / E.U.A. (Diretora: Kelly ReichardtRoteiro: Kelly Reichardt baseado nas histórias de Maile Meloy) – Elenco: Laura Dern, Kristen Stewart, Michelle Williams, James Le Gros, Jared Harris, Lily Gladstone - Sony Pictures.

Mais sequencias no cinema da autora de ‘Se eu Ficar’


A Universal Pictures adquiriu os direitos de ‘Apenas um Dia’ e ‘Apenas um Ano’ da autora americana Gayle Forman


Mais dois títulos da escritora americana Gayle Forman, do best-seller adolescente Se Eu Ficar, serão adaptados para o cinema. A Universal Pictures adquiriu os direitos dos livros Apenas Um Dia e Apenas Um Ano, com a intenção de unir as duas tramas e transformá-las em apenas um filme. As informações são do site da revista americana The Hollywood Reporter.

Orçado em cerca de 11 milhões de dólares, Se Eu Ficar, produzido pela New Line, rendeu US$75 milhões mundialmente, mas ainda não está confirmado se o livro subsequente, Para Onde Ela Foi - outro sucesso de vendas -, ganhará as telas.

No Brasil, Apenas Um Dia foi lançado em 2014 pela editora Novo Conceito, e Apenas Um Ano foi lançado em fevereiro de 2015. A trama dos títulos conta a história de Allyson Healey e Willem, um jovem casal que se conhece em Paris e passam 24 horas juntos. O primeiro livro mostra o ponto de vista de Allyson, enquanto Apenas Um Ano conta a versão de Willem.

Os livros contam a história de Willem e Lulu, que se conhecem em Paris e passam juntos um intenso dia. Se separam após 24 horas e durante o ano seguinte tentam de todas as formas se reencontrarem. Apenas Um Dia usa o ponto de vista da mulher, enquanto Just One Year (Apenas Um Ano, em tradução livre) é contado pelo rapaz. Just One Night é o título que encerra a trama, mas o interesse em uma possível adaptação deste deve depender do resultado da primeira parte nas bilheterias.

Stephanie Savage e Josh Schwartz, produtores de Amor Sem Fim, cuidam do projeto, que terá Lis Rowinski e a própria Gayle Forman como produtoras executivas.

Gayle Forman começou sua carreira escrevendo para a revista Seventeen em que a maioria de seus artigos, centrada nos jovens e preocupações sociais. Mais tarde ela se tornou uma jornalista freelance para publicações como a revista Details, Jane Magazine, Glamour Magazine, The Nation, Elle Magazine e Cosmopolitan Magazine. Em 2002, ela e seu marido Nick fizeram uma viagem ao redor do mundo. De suas viagens, ela acumulou uma riqueza de experiências e de informações que mais tarde serviu como base para seu primeiro livro, um diário de viagem que você não pode começar lá a partir daqui: um ano na margem de uma Shrinking World. Em 2007 ela publicou seu primeiro romance para jovens adultos, intitulado de Sisters In Sanity onde ela se baseia em um artigo que tinha escrito para a revista Seventeen. Seu mais recente romance “If I Stay” (Se eu ficar), fez Forman levar vários prêmios, entre eles o Indie Choice Award de 2010.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Kojima Productions, Um recomeço e mais liberdade para Hideo Kojima?


Após uma saída extremamente conturbada da Konami e com uma cláusula contratual que o impede de falar sobre sua saída, Hideo Kojima realizou um dos seus maiores sonhos, e um fundou o seu próprio estúdio de maneira independente, e de forma bem precoce e surpreendente, não muito tempo de anunciar sua saída da Konami, Kojima já conseguiu uma parceria com a Sony e o seu novo estúdio já tem o projeto de um jogo exclusivo para Playstation 4.

No novo estúdio, Kojima terá a companhia do antigo artista da série de Solid Snake, Yoji Shinkawa, e do produtor Kenichiro Imaizumi. Ambos terão responsabilidades de chefia nas divisões dedicadas à arte e produção respectivamente.

 Em entrevista ao The New Yorker, Kojima explicou algumas das dificuldades que as publishers triple-A enfrentam no mercado:

"A única maneira de criar jogos de última geração é focar no mercado global", diz Kojima. "Mas para focar neste mercado, o gerenciamento por trás do projeto precisa ter noção do que vai funcionar e tem que estar disposto a tomar riscos. Se você está focado apenas em lucros imediatos, você vai ficar para trás; fica impossível se recuperar". - disse ele.

Já a uma entrevista ao IGN, a equipe do estúdio deu alguns detalhes do que podemos esperar deles:

 “Quero criar algo que seja aquilo que as pessoas esperam, mas ao mesmo tempo, que tenha algo que nunca viram antes”, disse Kojima, enquanto garantia que “será um jogo completo”. Yoji Shinkawa acrescentou, “temos trabalhado numa franquia que é adorada e tem personagens reconhecíveis. Um dos meus principais objectivos, visualmente, seja com que personagem for que acabemos por criar, passa por ir além disso, ser ainda mais adorada, mais reconhecível. Esse é definitivamente um dos meus principais objectivos, do ponto de vista artístico.”

Uma coisa é certa, Hideo Kojima foi o responsável pelas melhores franquias da Konami, e a forma como terminou essa união não foi nada agradável, e a Konami não passa um dos seus melhores períodos. Essa nova fase é totalmente vantajosa para Kojima, com a liberdade que ele vai ter agora; num futuro não muito distante, vai ter muita coisa boa saindo desse estúdio!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Nova Parceria chegando no Family Geek Brasil!!

NOVA PARCERIA NO BLOG!!

E aí, pessoal, fechamos uma parceria com uma pessoa super gente boa e que aceitou fazer parte de uma ideia que já tinha um boa tempo que queríamos implementar aqui no blog do Family Geek Brasil; que seria algo como, fazer resenha das Sagas de revistas em quadrinhos (Não se limitando somente a Marvel e DC Comics, afinal, grandes revistas saíram de editoras como Vertigo, Dark House Comics, e muitas outras do cenário independente), o que poderia explicar e ser interessante, para muitos jovens que estão chegando agora ao mundo das HQs (muitos desses, graças aos filmes que tem sidos lançados pela Marvel e DC); um exemplo disso, seria uma resenha da Saga Guerra Civil, seria bem interessante, pois a história que vai ser narrada no cinema, provavelmente, será MUITO diferente do que aconteceu nos quadrinhos, e o "pequeno gafanhoto" que está chegando agora no universo dos quadrinhos, vai ficar surpreendido com o tanto de conteúdo a mais e impactante que tem nessa saga.

Quem será o nosso parceiro?

Quem vai estar ajudando a gente nessa jornada, será Helder Chaves (Jaguar HX), que é responsável pelas páginas no Facebook abaixo:

-   Blanka Brasil - Casa Blanka     
Toca do Jaguar HX
Aquaman Responde

São páginas com conteúdo bem diversificado, mas que pode encontrar matérias especiais dedicadas a toda cultura pop: Games; Livros; Quadrinhos (comics, mangá, e outros); Cinema; animação.
Além das páginas, você também pode conferir o site Aperta Start, um portal de que traz matérias e notícias em seus posts, vídeos e podcast. Pode estar curtindo a página do site no Facebook: CLICANDO AQUI.

Pra quem estiver curioso para saber como conhecemos o Helder, pode estar vendo a "aula" sobre quadrinhos que ele deu nos comentários nesse link: Depois dos eventos de Guerras Secretas: Os X-men poderão ir embora do Planeta Terra.

Que seja Bem-vindo o nosso parceiro, Helder Jaguar HX! Que nossa parceria seja muito bacana e traga muitas coisas boas os seus projetos e também para nós do Family Geek Brasil!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

R.F.Lucchetti, nosso mago do Terror nacional!




Rubens Francisco Lucchetti (29 de janeiro de 1930, Santa Rita do Passa Quatro, São Paulo), mais conhecido como R. F. Lucchetti, é um ficcionista,desenhista, articulista e roteirista de filmes, histórias em quadrinhos e fotonovelas.


Um dos fundadores do Clube de Cinema de Ribeirão Preto. E, entre 1960 e 1962, realizou, em parceria com o artista plástico e cenógrafo Bassano Vaccarini, uma série de filmes de Animação (alguns desses filmes foram pintados na própria película; outros, filmados quadro a quadro), que projetaram nacional e internacionalmente o nome de Ribeirão Preto no cenário cultural.

Entre 1960 e 1965, idealizou, organizou e realizou, sob suas expensas, uma série de manifestações culturais.

A partir de 1960, começou a publicar esporadicamente na imprensa paulistana, escrevendo artigos para os jornais O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e Shopping News, entre outros.

Escreveu inúmeras histórias em quadrinhos para alguns dos maiores desenhistas do Brasil, como Nico Rosso, Eugênio Colonnese, Rodolfo Zalla, Julio Shimamoto, Sérgio M. Lima, José Menezes, Paulo Hamasaki, Osvaldo Talo, Juarez Odilon, Wilson Fernandes, Sampa (Francisco Ferreira Sampaio), Flávio Colin e Edmundo Rodrigues. Começou a publicar histórias aos doze anos, na década de 1940 (seu primeiro texto publicado foi "A Única Testemunha", escrito sob a influência e o impacto da leitura dos contos "O Gato Preto" e "O Coração Revelador", de Edgar Allan Poe). Na maioria das vezes, assinava com pseudônimos (sugeridos quase sempre pelos próprios editores, que não acreditavam num nome latino assinando histórias de Mistério e Horror) ou heterônimos, como Theodore Field, Terence Gray, Mary Shelby, Peter L. Brady, Christine Gray, R. Bava, Isadora Highsmith, Helen Barton, Frank Luke, Brian Stockle e Vincent Lugosi . Escreveu e publicou ao todo 1.547 livros, trezentas histórias em quadrinhos, 25 roteiros de filme e centenas de programas de rádio e televisão e inúmeros contos para revistas pulp . Para a editora carioca Cedibra (Companhia Editora Brasileira), que pertencia à espanhola Bruguera, produziu romances de bolso de Horror e de Detetive & Mistério, além de traduzir autores estrangeiros . Criou dois reality shows (A Mansão dos 13 Condenados e Jogo das Palavras) e escreveu duas peças de teatro.

Um de seus livros, Noite Diabólica, publicado em 1963, é considerado "o primeiro livro de Terror escrito no Brasil" .

Em 1966, poucos meses após haver se mudado para a cidade de São Paulo, iniciou uma parceria com o cineasta José Mojica Marins, para o qual escreveu quase duas dezenas de roteiros de longas-metragens e, entre outras coisas, os scripts dos programas de tevê Além, Muito Além do Além e O Estranho Mundo de Zé do Caixão.

Com o ilustrador, desenhista e quadrinhista Nico Rosso, criou diversas revistas de histórias em quadrinhos (A Cripta, O Estranho Mundo de Zé do Caixão, Zé do Caixão no Reino Terror, A Sombra, entre outras), que renovaram os quadrinhos brasileiros de Horror.

Entre junho de 1968 e julho de 1970, foi redator-chefe da Projeção, uma revista destinada aos exibidores cinematográficos.

No final da década de 1960, criou três revistas pulp: Série Negra, Aventura e Mistério e Mistérios.

Criou, em 1970, para a Editora Prelúdio, que estava em sérias dificuldades financeiras, diversas revistas masculinas em pequeno formato: Mulheres em Preto e Branco, Mulheres para Fim de Semana, Mulheres Só para Homens, Show de Mulheres e Show Girl.

De 1972 a 1981 foi um dos editores da Cedibra.

Por intermédio de José Mojica Marins, conheceu, em 1977, o cineasta Ivan Cardoso, para quem escreveu os roteiros dos filmes O Segredo da Múmia, As Sete Vampiras, O Escorpião Escarlate e Um Lobisomem na Amazônia.

Na década de 1980, escreveu roteiros para Calafrio e Mestres do Terror, dois gibis de Terror publicados pela Editora D-Arte, de Rodolfo Zalla.

Em 2014, a Editorial Corvo, uma empresa do grupo Editorial ACP, lançou a Coleção R. F. Lucchetti, que irá publicar quinze de seus livros. O primeiro título da coleção é As Máscaras do Pavor.

Em 2015, publicou pela Editora Laços a romantização de seu roteiro original de O Escorpião Escarlate.

Um livro que estava 15 anos engavetado finalmente vai sair das trevas. “O Escorpião Escarlate - O Roteiro Original”, escrito por um dos grandes nomes do terror nacional, Rubens Francisco Lucchetti, foi lançado no início de novembro de 2015 pela editora Laços, de São Paulo.

“Escorpião Escarlate” foi o roteiro que ele escreveu para o cineasta carioca Ivan Cardoso, o mestre do “terrir”, estilo que mistura terror com humor. O filme sobre o bandido mascarado foi lançado em 1990, mas o que pouca gente sabe é que o longa que foi para os cinemas do país ficou bem diferente daquilo que estava no “script”. Pelo menos é o que garante Lucchetti.

“Do roteiro original, acabei mudando muita coisa a pedido do Ivan. E, no final das contas, por questões financeiras, ele acabou cortando muitas cenas que escrevi”, conta.

A publicação da história original deu novo ânimo a Lucchetti. O texto era para ter sido lançado em 2002, no livro/coletânea “O Cinema de R. F. Lucchetti”, o que nunca ocorreu.

“Fico feliz com o lançamento [da Laços]. O Brasil tem poucos livros sobre roteiros e que podem ser fonte de informação pra muita gente que gosta de cinema”, argumenta.

O que dizem sobre Rubens Francisco Lucchetti:

Nelson Motta: (...) R. F. Lucchetti é nada mais nada menos que o roteirista predileto do Zé do Caixão. Além de novelista inveterado (...), dedica-se também às histórias em quadrinhos e ao desenho animado. Como quadrinhista, ele formou dupla com os maiores desenhistas do país, já tendo trabalhado para A Cripta, O Estranho Mundo de Zé do Caixão e outras. Ganhou, em 1963, um prêmio na França, pelo filme de animação Tourbillon, realizado em parceria com o artista plástico Bassano Vaccarini.

Andréa Beltrão
: O Escorpião Escarlate. Com ele, ganhei o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Natal, em 1990. Eu adoro o roteiro desse filme, que é do Rubens Lucchetti, um roteirista genial, craque em histórias policiais e de Terror. (...) Lucchetti, por onde você anda? Saudades dos seus roteiros maravilhosos.

Fontes:
https://pt.wikipedia.org/wiki/R._F._Lucchetti
http://www.rflucchetti.com.br/
http://www.jornalacidade.com.br/lazerecultura/NOT,2,2,1110152,O+retorno+do+mascarado.aspx

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Justiceiro de volta as raízes em 2016


Com exclusividade para o Comic Book, a Marvel anunciou que volta com a mensal do Justiceiro reunindo uma equipe criativa formada por Becky Cloonan (Já trabalhou como escritora em editoras independentes, na Dark Horse, na Image, na Dc e na Marvel também) e desenhado por Steve Dillon (Velho conhecido dos fãs do Justiceiro).. Nesta nova série, Frank se vê no meio de traficantes que trabalham com uma droga muito mais perigosa, capaz de criar super-soldados instáveis e quem está por traz disso é um velho conhecido seu.

"A série vai começar em um lugar familiar, mas logo o justiceiro vai se encontrar num ambiente inóspito sem muita coisa que ele pode confiar" disse Becky. "Vamos tirar algumas de suas camadas e levar ele ao seu limite. Eu quero ver quão longe ele vai para alcançar seus objetivos. Poucas pessoas falaram sobre essas coisas que estamos planejando e elas são reminescente da Punisher Max".

A autora disse que desta vez o Justiceiro estará mais uma vez sozinho, bem longe da comunidade heróica que ele vez ou outra topa. Teremos um novo personagem aqui, um agente da DEA, mas não necessariamente ele estará junto com Frank.

Justiceiro #1 ainda não tem data de lançamento, mas é provavel que só chegue as lojas depois de fevereiro de 2016.

domingo, 13 de dezembro de 2015

O fim da Wi-Fi e o início do Li-Fi?

"A tecnologia não para de evoluir", talvez seja uma das frases que melhor descreve os tempos de hoje em dia, e aonde se mais há evolução, de fato, é na internet. O Wi-Fi, que até uma década foi uma das maiores evoluções na forma de se conseguir acesso à internet, está preste a se ultrapassada por um sucessor que não está num futuro tão distante assim; que não é nada mais, nada menos, que o Li-Fi, uma forma de se conectar à internet de forma ultrarápida através da luz.

Como dito, anteriormente, a "Light Fidelity", é uma tecnologia que emprega luz para transmitir dados em alta velocidade, e diferente da Wi-fi que usa ondas de rádio, a Li-Fi usa lâmpadas de LED para transmitir as informações. Mas as vantagens do Li-Fi não termina ai, além de ser transmitida através da luz, ela consegue ser 100 vezes mais rápida do que o Wi-Fi, sendo mais objetivo, ela consegue transmitir velocidades até 100Gbps e, possivelmente ainda mais, mas isso exigiria uma mudança na tecnologia de iluminação.

O projeto já está acontecendo e sendo financiando desde 2010, e surgiu através das pesquisas do professor Harald Haas, que é presidente das Comunicações Móveis da Universidade de Edimburgo e co-fundador da pureLiFi. Ele foi a primeira pessoa a estudar a tecnologia. Usou o termo pela primeira vez durante uma palestra do TED (conferências sobre Tecnologia, Entreternimento e Design), em 2011.

A tecnologia (CLV) Visible Light Communications, funciona com piscadas das lâmpadas, a famosa frequência. Onde são ligadas e desligadas as lâmpadas em períodos de nanossegundos, o que torna imperceptível aos olhos e ouvidos humanos. Os LEDs são diferentes de qualquer outro tipo de lâmpadas, pois são semicondutores. Esta característica dá aos LEDs a capacidade de ligar e desligar em nanossegundos.

Desvantagens

- Como a internet Li-Fi é distribuída através da luz, infelizmente, fica-se muito limitado a extensão da internet pelos cômodos da casa/escritório, o que traria um custo mais elevado para se botar em vários cômodos da casa.

Vantagens

- A Li-Fi possui vantagem de apta para uso em áreas sensíveis à ondas eletromagnéticas, como cabines de aeronaves, hospitais e usinas nucleares, pois obviamente não possuem ondas eletromagnéticas.

- Outra vantagem é que o espectro da luz visível é 10 mil vez maior que todo o espectro da rádio frequência. Segundo a US Federal Communications Commission, a Wi-Fi pode estar chegando ao seu limite, o que pode acarretar um possível crise no espectro da rede (o que forçaria o uso quase "forçado" da Li-Fi).

- Os pesquisadores também veem a Li-Fi como uma vantagem em relação a hackers, pois seu Wi-Fi está "visível" fora do ambiente de casa ou do escritório, já a Li-Fi não consegue atravessar paredes, o que mantêm a rede dentro dos ambientes. 

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Trailer de X-men: Apocalipse é liberado pela Fox


Não sei se me empolgo ou não com o trailer de X-men: Apocalypse (que tem data prevista pra chegar nos cinemas no dia 27 de maio de 2016), as histórias dos mutanas ficaram muito prejudicadas nos quadrinhos, acredita-se que grande parte da culpa seja da rixa que existia entre a Marvel e Fox pelos direitos autorais dos personagens,mas o mais preocupante é que os filmes dos X-men que foram lançados pela Fox não chega a ser nada extraordinário, ao contrário da Marvel, que desde que conseguiu os direitos autorais de vários heróis, conseguiu fazer filmes e séries excelentes e que agrada a vários fãs de quadrinhos.

Enfim, pelo trailer, dá pra ver que a luta pode ser bem interessante, ainda mais com a presença dos 4 Cavaleiros do Apocalipse, logo de início também já mostra a jovem Jean Grey tendo um sonho/premonição do anúncio do poder da Fênix que irá consumi-la futuramente. Além disso, uma batalha muito interessante irá acontecer entre Charles Xavier e o Apocalypse, o que com certeza será o ponto alto do filme.

Apocalipse será ambientado em 1983 e trará o retorno dos atores James McAvoy e Michael Fassbender como Xavier e Magneto, respectivamente, bem como Jennifer Lawrence como Mística e Rose Byrne como Moira MacTaggert. O elenco do longa também conta com Nicholas Hoult (Fera), Evan Peters (Mercúrio), Tye Sheridan (Ciclope), Alexandra Shipp (Tempestade), Sophie Turner (Jean Grey), Lana Condor (Jubileu), Olivia Munn (Psylocke) e Oscar Isaac (Apocalipse).

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Trailer de Tartarugas Ninjas: Fora das Sombras liberado

Aproveitando o sucesso de bilheteria do primeiro filme (2014), que gerou aproximadamente US$ 500 milhões, As Tartarugas Ninjas - Fora da Sombras, traz novos vilões para o filme, Bebop e Rocksteady. Além dos dois malfeitores, uma surpresa para os fãs da história, o vigilante Casey Jones (Interpretado pelo também vigilante em Arrow; Stephen Amell, o arqueiro verde), Tyler Perry é uma nova versão do cientista maluco Baxter Stockman, e Gary Anthony Williams e Stephen Farrelly também integram o elenco.

Confira o trailer legendado do Tartarugas do Ninja - Fora das Sombras abaixo:

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Você conhece a serie Powers da Sony ?


Powers é uma adaptação da HQ Powers, do selo Icon da Marvel Comics, onde o detetive de homicídios Christian Walker (Sharlto Cooper, de District 9) investiga super-heróis que naquele universo são chamados de “Powers” porque eles possuem poderes (Powers) e eles são proibidos de usar seus “Powers” em público, senão são presos pela divisão específica da polícia que é responsável por investigar os Powers e que, adivinhe só, chama-se Divisão Powers. 
A série mal estabelece este mundo repleto de Powers (as pessoas e os poderes) e já entra na investigação de um caso, não antes de apresentar o velho clichê do detetive tendo que lidar com um novo parceiro. Há mais para falar sobre o caso, mas o episódio é tão ruim que não vou perder meu tempo narrando isso para vocês. 
O PlayStation Network ainda não definiu a data de estreia da segunda temporada de Powers, mas já liberou seu primeiro trailer.


Em seu retorno, a história continuará do ponto em que parou. Novos atores foram contratados para fazer parte do elenco. Entre eles, Wil Wheaton (Jornada nas Estrelas: a Nova Geração, The Big Bang Theory), cujo personagem ainda não foi divulgado; Tricia Helfer (Battlestar Galactica, Ascension), como Lange, agente do FBI; Michael Madsen (Vengeance Unlimited, 24 Horas), como SuperShock, um poderoso super-herói que se aposentou há quarenta anos, sob circunstâncias misteriosas; e Enrico Colantoni (Just Shoot Me, Veronica Mars, Flashpoint, Remedy), como o Senador Bailey Brown;

Nos bastidores, a série passou por uma troca de produtor. Huston deixou a equipe de produção por diferenças criativas, segundo divulgado por ele em seu blog.

Filmada em Atlanta, a segunda temporada tem produção da Circle of Confusion e Sony Pictures Television.

A primeira temporada teve dez episódios de uma hora cada que foram lançados semanalmente pelo canal de streaming da Sony. Powers não foi disponibilizada para assinantes da PSN fora dos EUA. O segundo ano da série estreia em 2016, em data a ser divulgada.
Nas Hqs:
Powers, é uma série noir criada pelo escritor Brian Michael Bendis e Michael Avon Oeming. A obra estreou no Brasil em 2005, pela Devir Livraria, que lançou o encadernado Powers - Quem Matou a Garota-Retrô? e que trouxe o primeiro arco da série (edições originais #1 a 6), época em que os direitos de publicação nos Estados Unidos ainda eram da Image Comics. Hoje o material faz parte do catálogo da Marvel Comics.


Em Powers, heróis deslizam pelo firmamento entre relâmpagos e fogo. Extravagantes vilões tentam ousados roubos em plena luz do dia. Criaturas alienígenas divinas se chocam em batalhas épicas no céu noturno. E, nas ruas da suja cidade abaixo, os detetives da divisão de Homicídios Christian Walker e Deena Pilgrim fazem seu trabalho, investigando desde a misteriosa morte da Moça-Retrô a um letal jogo de RPG de super-heróis, com direito a uma estonteante participação especial de ninguém menos que o escritor Warren Ellis.
A série Powers, criada pelo roteirista Brian Michael Bendis e pelo desenhista Michael Avon Oeming, foi publicada pela Image Comics de 2000 a 2004, e hoje faz parte do selo autoral Icon, da Marvel Comics. Se passa em um mundo onde super-heróis são relativamente comuns, mas não mundanos. Nele, os policiais Christian Walker e Deena Pilgrim investigam casos envolvendo seres superpoderosos, sendo que Walker foi um dia o super-herói conhecido comoDiamond. Foi premiada com o Eisner de Melhor Nova Série em 2001 e Bendis foi agraciado com o mesmo prêmio como Melhor Roteirista pela série, em 2002 e 2003.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

5 Redes sociais mais bizarras da web

1- Beautiful People


É uma rede social só para pessoas bonitas a procura  do seu "par ideal"
O cadastro é feito normalmente, mas você só é aprovado após uma série de votações feitas pelos integrantes da página, que dizem se você serve ou não para o grupo.

2- The Ugly Bug Ball

Se você é um daqueles que acham que não há chances para pessoas feias serem felizes, pensou errado. O “The Ugly Bug Ball” é um site para relacionamento que reúne apenas pessoas não bonitas, como eles mesmos dizem.

A escolha de quem entra na rede social não se dá apenas pelo fato do usuário se considerar feio. O processo de cadastro chega a ser rigoroso, pois é feito através de moderadores que irão determinar se o perfil daquela pessoa condiz com a comunidade. Se não estiver dentro dos padrões, o usuário será expulso automaticamente.

3 - My Free Implants.com

Uma rede para quem quer aumentar os seios, mas sem pagar pela cirurgia. As candidatas se cadastram e pedem doações para se submeterem ao implante de silicone. Em troca dão mensagens, fotos, vídeos e eterna gratidão, porem nada pornografico. Vai saber...

4 -Zombie Preparedness Iniciative


É uma rede social para quem deseja sobreviver depois de uma apocalipse zumbi. Pesando bem essa é uma boa ideia (kkkk)

5 - Second Love


"Pagina Social para quem quer "pular a cerca"" . Segundo a própria descrição do Second Love, a proposta é justamente “fugir da rotina” de um romance.

Série do Punho de Ferro tem Showrunner definido e sinopse oficial liberada


Após sofrer com rumores que a série poderia ser cancelada e ser substituído pelo Justiceiro, a série do Punho de Ferro (Iron Fist) começa a tomar um rumos otimista. Durante a coletiva na Comic Con Experience (CCXP 2015), Joe Quesada confirmou que a série iria continuar a ser planejada e que não seria cancelada.

Hoje (7), uma notícia mais empolgante para os que estão ansiosos pela série, segundo o site ComicBook, a série acaba de ter o seu showrunner (algo como, produtor executivo) definido, e que não nada menos do que Scott Buck (Dexter, Rome, Six Feet Under), o que ajuda a criar altas expectativas de continuidade da série, afinal, Scott Buck é amigo de Melissa Rosenberg, a showrunner da série Jessica Jones da Netflix/Marvel, o que pode facilitar as conversas e que pode ser realmente oficial a notícia.

Outra notícia animadora, é que a série já tem uma sinopse oficial disponível, confira abaixo:

"Retornando para Nova Iorque após estar desaparecido por alguns anos, Daniel Rand lutará contra elementos criminosos que estão corrompendo a cidade de Nova Ioruqe com sua incrível técnica em Kung-Fu e a habilidade de conjurar os incríveis poderes do Punho de Ferro"

Está ansioso pela série?! Com certeza se oficializar a notícia, vem coisa boa aí, não acha?! 

Nota de repúdio da Comic Con Experience ao programa Pânico na Band

Um acontecimento lamentável ocorreu na Comic Con Experience (CCXP) em São Paulo que foi simplesmente impecável, mas o programa Pânico na Band que é um programa de humor e entretenimento (que muito das vezes é considerado um humor negro); além da tiração de sarro e zoação com pessoas que estavam presentes no evento, eles extrapolaram o limite ao "danificar" (removeram a tinta) da fantasia de um cosplay, mas foram mais longe ainda ao integrante do programa Lucas Maciel, passar a língua na cosplay, sendo algo além de constrangedor, atingiu e comoveu toda a comunidade geek, nerd e principalmente, vários cosplayers se revoltaram com a situação. O relato da cosplay envolvida no caso, Myo Tsubasa, pode estar sendo visto CLICANDO AQUI!

Mas a situação não ficou por isso mesmo (e com certeza, terá muito mais problemas ainda), e a equipe do Comic Con emitiu um nota de repúdio ao programa, e inclusive, proibindo a presença do programa na próxima edição do evento. Confira a nota completa abaixo:

"Na CCXP - Comic Con Experience, todas as pessoas são bem-vindas e incentivadas, sem preconceitos, a ser quem são - ou quem desejam ser. É um ambiente harmonioso que defendemos, um lugar onde cosplayers, nerds, gamers, cinéfilos, leitores de quadrinhos e simples curiosos convivem com respeito. Numa convenção de cultura pop, o contrato social que sonhamos para nós - em que toda diferença é aceita e celebrada - torna-se realidade.

É com tristeza e um sentimento de desgosto, então, que assistimos à maneira como o programa Pânico na Band, incapaz de lidar com o diferente, traz para dentro da CCXP seus preconceitos de gênero e seu franco desrespeito, entrevistando cosplayers com grosseria - chegando a lamber uma visitante. Depois desse incidente lamentável o Pânico na Band foi banido da CCXP 2015 e de todas as atividades organizadas a partir de hoje.

Não se trata aqui de discutir limites de humor. A cobertura do Pânico na Band da CCXP 2014, inclusive, foi muito bem-humorada e eles foram credenciados para a nova edição dentro desse espírito. No entanto, assédios moral e sexual são temas seriíssimos e preocupações constantes em convenções de cultura pop no mundo inteiro - assim como fora delas. As atitudes do Pânico na Band dentro da CCXP representam um retrocesso que não podemos aceitar. Ninguém pode, não mais.

O senso de humor é um componente fundamental do cosplay. Nesta segunda-feira a web ainda se diverte com as imagens dos trajes mais inventivos que passaram pelos quatro dias da convenção, do meme de Pulp Fiction às crianças vestidas de Coringa. Mas o cosplay também é uma forma de expressão que ajuda muita gente a fantasiar, com segurança, com aquilo que deseja para si. Pessoas aderem ao cosplay para se tornarem mais fortes, usando a interpretação e a confecção de seus trajes para lutar contra quadros de depressão, para manifestar sua sexualidade, para trabalhar sua auto-estima, como um super-herói.

A organização da CCXP repudia com indignação a postura inaceitável do Pânico na Band porque ela desmancha esse encanto do qual depende qualquer convenção de cultura pop. Mas os cosplayers, os nerds, os gamers, os cinéfilos e os leitores de quadrinhos são maiores, mais unidos e mais fortes. E um dia o contrato social de tolerância que estabelecemos dentro dessas convenções vai se espalhar porta afora, como um coro."

The Fellowship of the Comic Con Experience, 7 de dezembro de 2015.