quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Top 5 - Cinco sagas deploráveis da MARVEL dos anos 90

THOR SAPO

Após levar um beijo de uma certa dona de casa (que não sabe estar sendo controlada por Loki), Thor vira sapo, e deixa os asgardianos preocupados, se perguntando onde ele está. Na Terra, Thor ajuda os sapos que conhece na cidade, e fica amigo de Pocinha, um dos sapos que encontra. Thor é convencido a ajudar os sapos numa guerra contra ratos.
Uma história muito incomum, talvez a mais incomum do personagem desde sua criação, mas que se tornou uma saga inesquecível. Detalhe: Walter Simonson dedicou esta história a Carl Barks, desenhista e escritor que ficou famoso por criar as mais importantes histórias de outro universo animal: o das histórias do Tio Patinhas, Donald e o mundo criado por Disney.

HULK  "Sr TIRA TEIMA"

No início dos anos 90, o Hulk estava cinza e era conhecido como “Sr. Tira-Teima” (Mr. Fixit, no original) num clube noturno de Las Vegas, onde ele trabalhava como segurança.
Bruce Banner tinha muitos problemas de personalidade somando isso a sua relação de conflito contra a personalidade do Hulk acabou criando o Hulk-Cinza, que era inteligente como Banner mas com interesses próprios que dificilmente batiam com os interesses de seu alter-ego. Durante a fase de Peter David, Hulk assumiu a identidade de Sr. Tira Teima e começou a trabalhar como um leão de chácara em Las Vegas, grande enfoque para o humor-negro.


CAPITÃO AMERICA com Armadura

O herói teve o soro do supersoldado “retirado” do seu sistema. Posteriormente em um retcon foi explicado que o soro do supersoldado era, na verdade, um fluído no qual havia um vírus que alterava o DNA. Capitão América também teve que usar, durante um curto período, uma armadura protetora, pois seu corpo estava se deteriorando devido a efeitos colaterais do soro.
Foi quando o Homem de Ferro (ele de novo) ajudou o amigo e criou uma armadura ativada por comandos mentais, que lhe garantiram, não apenas manter seus movimentos, como um exoesqueleto, mas lhe conferiu capacidade de voo e vários armamentos, como mísseis e lasers. Esse “Capitão de Ferro” estreou na edição 438 da revista do herói.

WOLVERINE sem Adamantium

Na década de 90, Magneto usou seus poderes eletromagnéticos para extrair do esqueleto de Wolverine todo adamantium que o recobria, SEM ANESTESIA! Claro que ele sobreviveu, graças ao seu fator de cura. MAS, o processo de extração foi tão traumático que desencadeou uma mutação nele, fazendo-o adquirir um aspecto e comportamento mais selvagens.
Ele regrediu a uma forma quase animal, no entanto, com o fator de cura e sentidos animais melhorados.
Durante combate com o vilão Genesis, é realizada uma tentativa de reinserir o adamantium nos ossos de Wolverine. Wolverine 100, de 1996, ainda por Hama e Kubert, mostra o experimento fracassar, deixando uma nefasta consequência: abalado física e emocionalmente pelo processo, Logan reverte sua aparência a de um animal, tornando-se praticamente um cachorro falante. A fase do “Logan de focinho” foi curta, mas traumatiza leitores até hoje!

JUSTICEIRO mafioso

Uma nova revista foi relançada, levando o personagem a uma nova direção, transformando-o num mafioso (!). É claro que os leitores rejeitaram esse tipo de coisa, e a revista também foi cancelada. Relegado novamente ao papel de coadjuvante, fez breves aparições na revista do Homem-Aranha,Heróis de Aluguel e em Ka-Zar.