terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Resenha de Jogos - Her Story

Na The Game Awards (TGA, uma espécie de Oscar dos jogos), tem como um dos seus pontos altos da premiação, a ansiedade de saber qual vai ser eleito o Melhor Jogo do Ano, e na TGA 15, que ocorreu no dia 3 de Dezembro, não foi diferente, a disputa acirrada entre Fallout 4 e The Witcher 3 foi de roer as unhas pra saber o resultado, que acabou dando The Witcher 3: Wild Hunt. Mas além de saber qual o melhor jogo do ano, o mais interessante desse "Oscar", é saber as surpresas que aparece no meio dos indicados; e esse é o caso do jogo Her Story (do mesmo criador de Silent Hill: Shattered Memories; Sam Barlow), que ganhou os prêmios de Melhor Narrativa (inclusive, superou o jogo Life is Strange) e Melhor Perfomance da atriz Viva Seifert; e também concorreu aos prêmios de Melhor Jogo Independente (ganhou Rocket League) e Game for Impact (ganhou Life is Strange).

Sinopse

"Her Story, coloca o jogador no papel de um detetive que deve, através de um banco de dados de vídeos, descobrir o responsável pelo desaparecimento de Simon Smith. Os vídeos são partes de várias entrevistas realizadas com a mulher do desaparecido, Hannah Smith."

O tema de detetive, na forma mais "realista", estava meio escassa no mercado de jogos, mas Her Story traz essa essência de volta,mas com uma jogabilidade totalmente diferente dos jogos que conheço. O jogador tem que realizar uma investigação praticamente independente (o jogo não te dá um "objetivo" claro), e você tem que realizar essa pesquisa através de um computador dos anos 90, e você só tem acesso a um banco de dados com vídeos de várias entrevistas realizadas com Hannah Smith, e a única forma de conseguir algum progresso na história do jogo e na narrativa, é prestando muita atenção no que Hannah fala nos vídeos, em sua leitura corporal e também é de grande ajuda, tentar imaginar "Qual foi a pergunta feita pelo detetive?!"; com essas dicas, você vai ter que usar palavras chaves para descobrir qual será o próximo vídeo na linha de investigação; ao entrar pela primeira vez no jogo, já está escrita a palavra "MURDER", o que nos leva a crer de primeira impressão: "Será Hannah a assassina de seu próprio marido?!".

Conheci o jogo na verdade, numa pesquisa na Steam por jogos com "Uma Boa História", e não é que encontrei?! Her Story, logo chama atenção por ser focado na investigação, bem ao estilo "Sherlock Holmes", e antes de baixar o jogo, dei uma procurada pelo Youtube pra ver se era bom mesmo, mas tive uma decepção, não com o jogo, mas sim com os jogadores das gameplays, vi muitos jogadores usando uma "macete" para poder identificar os vídeos na linha temporal certinha e um vídeo atrás do outro, sem precisar fazer a investigação (o principal atrativo do jogo), logo, se o player faz isso, ele não está "jogando" o jogo, mas sim, assistindo um filme, o que diminui o tempo do jogo pra aproximadamente 2h de jogatina, sendo que jogando da "maneira correta", o jogo pode se estender por quase 10h ou mais de jogo. Então aconselho a vocês que vão jogar futuramente e gostam de jogos investigativos, esse é o jogo certo, e jogue da maneira correta, se envolvendo com a história e "fazendo as perguntas certas como detetive/descobrir as palavras chaves".

Pra quem quiser comprar na Steam, é só clicar nesse link: http://store.steampowered.com/app/368370/