terça-feira, 12 de janeiro de 2016

A música é capaz de definir nosso humor - Teoria de Barney Stinson é real?


Segundo um dos personagens mais emblemáticos de séries, Barney Stinson (Neil Patrick Harris) de How I Met Your Mother, existe uma teoria de "Como estar sempre feliz", algo que parece ser uma tarefa muito difícil no dia a dia das pessoas, por causa de trabalho, problemas na vida, social, etc. Mas Barney tem a solução, ele nada menos, tem um coleção/uma playlist chamada "Animação Total/ Get Psyched Mix", uma coletânea com músicas SEMPRE para cima, o que é meio difícil no dia a dia, e a pessoas geralmente, tem em seus celulares, música que dão aquela "elevada" e depois vão "ladeira abaixo"; ou simplesmente, são num tom tão baixo que são capaz de deixar a pessoa depressiva. Mas será que essa teoria de escutar música "alegre/positiva" o tempo todo realmente funciona?! A resposta dos cientistas é SIM!

Cientistas já concluíram que a influência da música pode ser um evento casual, que surge de sua capacidade de mobilizar sistemas do cérebro que foram constituídos com outros objetivos – como dar conta da linguagem, da emoção e do movimento. Em seu livro Como a mente funciona (Companhia das Letras, 1998), o psicólogo Steven Pinker, da Universidade Harvard, compara a música a uma “guloseima auditiva”, feita para “pinicar” áreas cerebrais envolvidas em funções importantes. Mas, como resultado desse acaso, os sons harmoniosos oferecem um novo sistema de comunicação, com base mais em percepções sutis que em significados. Pesquisas recentes mostram, por exemplo, que a música conduz certas emoções de forma consistente: o que sentimos ao ouvir algumas canções e melodias é bastante similar ao que todas as outras pessoas na mesma sala sentem.

Apesar da música conseguir te dar um "up", nem sempre é tão fácil assim, por isso, entra outra "Teoria de Barnabus" em ação, que está presente em seu livro (que foi lançado fora da série para os fãs entrar mais em contato com o mundo do personagem), O Código dos Bros/The Bro Code; que diz basicamente: "Uma boa setlist precisa ter seus "altos" e "baixos", assim, quando você escutar a música "pra cima", você está empolgado; em seguida, escute uma música mais "baixa", desse jeito, você consegue recuperar o fôlego e tá próximo para a próxima rodada de adrenalina". Um bom exemplo disso na prática, seria escutar Dancing with Myself  de Billy Idol, e em seguida, Tom Sawyer de Rush.

Um bom exemplo de como isso também funciona, é o serviço de música via streaming Spotify que utiliza algoritmos para identificar gostos e personalidade de seu usuário, e com isso, existem setlists mais variadas e completas dos serviços streamings, podendo escolher "Qual a sensação que você quer sentir?", que vai desde romântico à uma coisa mais "insana", e para aqueles que gostam de fazer exercícios, o Spotify sugere uma setlist baseada no seu gosto musical para poder as atividades de forma mais incentivada.

Então vamos aproveitar o conselho de Barney Stinson e montar a nossa playlist da Animação Total e ser felizes?! Seja na hora de ir pro trabalho, voltando pra casa, indo pra balada, fazendo exercícios e atividades, etc. Vamos escutar músicas que nos bote pra cima e aproveitar o dia pessoal!